O reitor da Universidade Estadual do Ceará – Uece, Prof. Dr. Jackson Sampaio, recebeu, na última terça-feira, 6, no gabinete da Reitoria, o diretor institucional do Grupo Edson Queiroz e presidente do Instituto Myra Eliane, Igor Queiroz Barroso, e a diretora da entidade, Valéria Serpa, para o lançamento do Concurso de Monografias “O Cearense 2018 – uma releitura da obra clássica de Parsifal Barroso”. Também participaram do lançamento do concurso o pró-reitor de graduação, Prof. Jerffeson Teixeira de Souza; a diretora do Centro de Humanidades, Profª Adriana Barros; o chefe de gabinete do reitor, Edmar Pereira Neto, e Fátima Serpa, assessora de comunicação da Uece. 

As inscrições devem ser feitas no site www.ocearense.com.br, até dia 27 de março. Podem participar universitários residentes em qualquer parte do Brasil, de qualquer curso e instituição, seja ela pública ou particular. Os autores das redações classificadas nos três primeiros lugares receberão a seguinte premiação: 1º lugar – R$ 10.000,00 (dez mil reais) + um iPhone; 2º lugar – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) + um Notebook; 3º lugar – R$ 3.000,00 (três mil reais) + um iPad. O livro pode ser adquirido na sede do Instituto Myra Eliane, Av. Desembargador Moreira, 2120, sala 504; na Biblioteca da Universidade de Fortaleza – Unifor, Av. Washington Soares, 1321; e na Editora da Universidade Federal do Ceará – UFC, Av. da Universidade, 2932.

Foto: Kid Júnior

Para além de fomentar a produção científica de universitários e pesquisadores nos campos da História, Sociologia, e Antropologia, o concurso homenageia o intelectual e ex-governador do Ceará (1959-1963), José Parsifal Barroso, que, em seu livro “O Cearense”, de 1969,  lançou o conceito de cearensidade. O Instituto Myra Eliane, organizador do concurso, surgiu a partir dos estudos sobre as causas dos problemas sociais, como a corrupção e a violência urbana, identificada com a falta da formação do caráter e dos valores do indivíduo, cuja formação ocorre basicamente dos zero aos sete anos.

“O Ceará tem grandes pessoas que refletiram sobre nossas singularidades, aquilo que é próprio do cearense, aquilo que é próprio dessa região, sejam o ambiente físico, seja o bioma Caatinga, que é singularíssimo, sejam as características d nosso povo, que teve uma miscigenação mais indígena do que negra, então você tem muitas singularidades que nos caracterizam. Essas contribuições ajudam a nos entender melhor, o nosso lugar na história e o que a gente pode fazer melhor com isso para o futuro”, destaca Jackson.

 

Mais informações: 085 3051-3680

Confira:
Lançado na Universidade Regional do Cariri – Urca Concurso de Monografias “O Cearense 2018 – uma releitura clássica de Parsifal Barroso”

(com informações da Ascom Uece e jornal Diário do Nordeste)